quinta-feira, 5 de agosto de 2010




Se eu fosse poeta, diria que a neve deslizou pelas paredes verticais celestiais, debruçando-se, então pelo verde, tornando-o branco e levando àqueles que a aguardavam, entusiasmo ou um pitada de esperança.
Não sou poeta e digo que nevou e quando lê-se em determinados lugares: Foto-divulgação Prefeitura de Gramado, entenda que o fotógrafo responsável fui eu.

Um comentário:

Chapolin TV disse...

Sempre que leio o jornal, digo: "Esse é o meu guri!".