sexta-feira, 22 de outubro de 2010

No elevador

A encontrei no elevador, como sempre encontrava:
-Bom dia, dona Orlanda?!
-Bom dia, meu jovem! Como tem passado?
-Muito bem! E a senhora o que conta?
-Pois então, ia mesmo ter com você, pois acho que meu chuveiro está estragado. Poderias ir concertar, ou tens outros afazeres?
-Ih dona Orlanda, o melhor seria a senhora chamar o seu Nelson, o sindico, pois eu não entendo nada de eletricidade, sou contador.
-Não és o Nelson?
-Não.
-Onde ando com a cabeça, meu bom Deus?
-Ah, dona Orlanda, essas coisas acontecem, a memória vez que outra também me falha.
-Sim, acho que esse não é um mal só da velhice, mas que é um mal, isso é inegável. Sabe que outro dia,valei-me meu São Jorge, eu pensei ter ouvido alguém tentando arrombar a minha casa. Quando aproximei-me do barulho que percebi que era o gato que eu tinha esquecido esquecido dentro trancado em meu quarto.
- Não sabia que tinhas um gato.
- É verdade!, eu não tenho!
- Então de quem era o gato?
- Que gato?
- Esquece.
- Falávamos de que? Sabe que tenho uma memória muito boa, mas devo ter comido alguma coisa que não fez bem aos meus neurônios. Devem ser o hormônios da carne de frango.
- Pode ser, dona Orlanda.
- Sabes que ontem sentei-me para ver o noticiário na TV Tupi e me surpreendi em saber que devemos em breve entrar num regime totalitarista e militar. Não sei se seria bom o Getúlio ganhar essas eleições.
-Dona Orlanda, estamos entre Serra e Dilma.
- Serrar quem? Mas como eu ia falando o gato!,sim esse animal safado, deve ser da Odete, minha vizinha, ela sempre criou esse bicho solto.
- Ah, pode ser. Olha só, dona, Orlanda, cheguei no meu andar, passe bem.
- Mas escuta!?
- Diga.
- E o meu chuveiro?

7 comentários:

Apto 103 disse...

Tem uma tendência petista nesse texto.

Ricardo Bertolucci Reginato disse...

Pelo Getúlio ou pela falta de memória?
aahsaush
De fato dona Orlanda representa a memória do povo brasileiro, porém, como no texto, essa memória é em um curto espaço de tempo.
Há oito anos, dona Orlanda lembra-se saudosamente da vida.

Vinícius Schneider disse...

Eu troco chuveiros. Pagando bem. Falávamos sobre?

Ricardo Bertolucci Reginato disse...

Mas orgulho-me de ter uma memória louvável. Ou como diria aquele velho ditado, são duas coisas na vida das quais me orgulho, a primeira é a minha memório, e a segunda é... é... a segunda eu não lembro.
Sobre o chuveiro, darei o vosso contato para a Dona Orlanda, mas o melhor seria que me desse um cartão, do contrário é provável que ela esqueça.

Chapolin TV disse...

Grande Dona Orlanda, hein... sempre ligada...
Mt bom o texto e, lembro, eu também troco chuveiros, e mais, tenho cartões. ahuiahia

Abraços

ChapolinTV = Fredi Bazzan

Ricardo Bertolucci Reginato disse...

Dono de imobiliária trocando chuveiros?
Esse capitalismo nos torna multiuso, de fato.
suahahs
Valeu,Fredi.

Michele P. disse...

É...e a memória da dona Orlanda realmente é a mesma do povo brasileiro. Deu no que deu.