segunda-feira, 6 de abril de 2009

Jair e o Zodíaco



Sagitário: Hoje, tu terás um dia difícil, o trabalho será entediante, porém e você poderá discutir com seu chefe. As possibilidades de você ser traído são grandes, evite chegar mais cedo em casa. A noite tente não brigar com seus amigos, pois a discussão pode acabar em esfaqueamento.

- Nossa, meu bem, tu viu meu horóscopo hoje- indagou Jair, enquanto tomava café da manhã.
-Dei uma olhada sim, amor, mas não se pode acreditar nessas bobagens né.
- É, nunca acreditei muito nisso, até por que, sei que tu não faria isso comigo.
- Tu ta jogando verde que eu sei Jair- disse Marta, gargalhando.
- Mudando de assunto? Sei, sei- dizendo isso, Jair despediu-se e foi ao trabalho.


Chegou na empresa, sentou-se em sua cadeira, acomodou-se, e ficou lá, sem nada fazer o dia todo, eis que na metade do dia, toca o telefone:
- Jair, vem cá- era o chefe.
- Bom dia Cleiton- disse Jair quando entrou na sala do chefe.
- Bom dia. Seguinte, quero te comunicar, que iremos fazer um remanejo no pessoal, devido à crise, e tu serás rebaixado de arquiteto á servente.
- Tu ta brincando seu velho safado? Eu não acredito que isso seja verdade
- Olha como fala comigo, ou nem servente tu vai ser.
- Pois tu não passa de um velho brocha, que só sabe me explorar, eu vou trabalhar catando latinha que ganho mais do que aqui.
- Então trate de comprar um carrinho para recolher latas. E pra não dizer que fui completamente mal agradecido contigo, aqui vai uma dica, cata papelão também, por que da mais dinheiro.
- Safado. E digo mais, safado, pilantra e brocha.
- Brocha? Tua mulher nunca reclamou, aliás, daqui há uma hora, quando eu for na tua casa pega-la ela não vai reclamar.
- Eu não acredito em uma palavra seu esdrúxulo- disse Jair, virando as costas e indo embora dali.

Saiu da empresa, entrou em seu carro, e rumou para qualquer lugar, queria pensar, refletir. Estacionou, ficou mudo por alguns minutos, ouvindo, uma linda canção do Amado Batista, quando pensou, “Meu Deus, eu não acredito que isso está acontecendo...estou ouvindo Amado Batista”.
Ligou o carro e correu para casa, chegou lá e encontrou a safada da Marta, na cama com aquele bunda branca de 70 anos, do Cleiton.
Gritou com ela, bateu no velho, apanhou do velho, correu, caiu, bateu no velho, apanhou do velho de novo. Foi uma selvageria. Mas saiu de casa o Jair.
A noite se aproximava, Jair não sabia mais o que fazer quando Lembrou-se de seu amigo, Miguel. Ligou para ele:
- Miguel, vamos jantar comigo, preciso conversar, minha vida está toda errada.
- Claro, Jair, vamos em uma churrascaria nova, que abriu ao lado da minha casa?
Quando Jair ia concordar com o fato, ele pensou, “espera ai, briga com chefe, traição, só falta a facada do amigo”, foi quando teve uma brilhante idéia, temendo as facas, Jair falou:
- Miguel, acho melhor irmos á um restaurante japonês.

2 comentários:

Lara disse...

Muitíssimo bom! Pobre Jair, mais um que sofre lei de murphy..
Adoro teus textos, porém, tenho os meus favoritos, tais como 'É dela, Meu fruto proibido, O brilho da minha vida e A jornada de um amor' e por aí vai :P

Te amo.

Ricardo Reginato disse...

Pois é, Lara. Por qual motivo será que tu gosta mais desses?
hehehe..
prometo dedicar-lhe, ou melhor, inspirar-me em ti, para mais muitos textos.

Te amo, Lara!