segunda-feira, 17 de maio de 2010

Neandertais farroupilhas

Comentaram que em determinado momento da existência neandertal, houve sexo. Mas não sexozinho, não umazinha qualquer. Houve sexo com homo sapiens. Sim, meu companheiro, homo sapiens para quem não sabe, somos nós. Nossa raça, é bom que se diga, não nós, por que pelo menos em mim nenhum neandertal pôs a mão, mas nos nossos antepassados.

Depois de estudos biológicos realizados com base nessa teoria (a da trepada dos sapiens com os neandertais), cientistas comprovaram que os genes neadertais foram encontrados na mitocôndria das células embrionárias do feto surgido após a relação, o que me parece que comprova que os neandertais macho deleitaram-se nos braços macios das homo sapiens. Ou seja, a força bruta era um fator irresistível naquela época, há 40 mil anos. Ou isso, ou as sapiens foram estupradas.

Para quem não sabe, os neandertais eram uma espécie paralela ao homo sapiens. Teoricamente a espécie mais parecida com nós de hoje que já surgiu no solo terrestre, além de nós mesmos, é claro. Os neandertais, porém, foram exterminados da face de Terra, e chego a pensar que em uma represália dos homo sapiens macho que viram suas guampas crescendo após suas fêmeas deitarem-se com os grandalhões.

O que vem ao caso é que os genes neandertais possivelmente seguem em nosso organismo, o que vem explicar muitas de nossas atitudes. Quem de nós nunca agiu como um bruto? Mesmo os mais racionais agem feito brutos. Mesmo os mais cultos já agiram como brutos. Poetas, cantores, pintores; todos já tiveram seus ataques de brutalidade. Todos já fomos neandertais.
Algumas situações exigem que sejamos sábios, e como diz o nome, usemos da sapiência, porém, vez que outra é involuntário, nossos genes neandertais falam mais altos, e agimos feito bichos, atiramo-nos à selva, como se o instinto sobressaísse-se ao raciocínio.

Não andamos por aí com pedaços de pau na mão, menos ainda arrastando nossas mulheres pelos cabelos, mas tenho notado alguns acessos de brutalidade em um lugar onde me apetece muito. Os gramados dos campos de futebol dos dois times do Rio Grande do Sul.

Depois do duelo impressionante travado pelo vistoso e célebre time dos meninos da Vila, jogando como homo sapiens que são, e terem vencido um primeiro tempo no qual o Grêmio comportou-se como homo sapiens também. O Grêmio entrou na roda e quem dançou foi o Santos. O segundo tempo mostrou-se diferente e o Grêmio portou-se como neandertal que é e tratou o Santos como a fêmea homo sapiens estuprada. O time da Azenha teve seu acesso de brutalidade e maltratou o Santos. Fez quatro gols como quem brinca e mostrou que aqui no sul, o futebol serelepe e sapiente fica só na teoria.

O Inter também faz das suas e mostrou ao Goiás que no sul os neandertais dominam e comandam viradas dignas dos genes que possuímos.
Espero que dentro da próxima semana, mostremos mais uma vez o quão brutos somos e o quão os outros times devem ter medo de nós gaúchos. Não tenho certeza se conquistaremos fêmeas inteligentes na base do grito, como fizeram nossos antepassados, porém, é notório, que Santos, Goiás, Avaí, Fluminense, e Banfield, já nos vêem como estupradores neandertais.

3 comentários:

Marco H. Strauss disse...

Antes temido do que mal respeitado. Talvez por usarmos a sapiência é que, por fim, acabamos na brutalidade.

Michele P. disse...

Não pude deixar de rir...

Bom texto, moço!

Guilherme Mello disse...

Cara,
imaginava que ia seguir uma linha de raciocínio, mas no final teu texto da uma grande volta e tu acabas falando de futebol!
hahaha

Gostei das comparações, belo texto!
Abraço